Blog – Críticas Negativas? Vem, neném!

Críticas Negativas? Vem, neném!

Muitas vezes, as pessoas me perguntam como eu lido com críticas negativas. Por isso, resolvi conversar um pouco sobre o assunto, mas não vou me limitar ao universo literário.

Vamos ser bastante honestos aqui: ninguém gosta de ouvir que está errado. Sem hipocrisia, por favor. O que faz você lidar melhor com a crítica negativa é o modo como ela é exposta.


Voltando um minuto aos livros. Assim que lancei Nunca Vou Me Apaixonar, eu estava em êxtase. Vocês não têm noção do quanto eu amo esse livro (por muitos e muitos motivos que, um dia, explicarei). Então, queria que todo mundo o lesse, principalmente alguns blogueiros para que pudessem me ajudar na divulgação.
Mandei pra um ig literário e fiquei super ansiosa esperando a resposta. Dois dias depois, a menina veio falar comigo. Para minha surpresa, ela disse que não tinha gostado. Eu fiquei como? :O

 

Até então, só tinha recebido altos elogios e avaliações cinco estrelas. Em primeiro lugar, fiquei chocada. Como assim essa desgraçada não gostou do meu livro? Morra! Depois, ela começou a conversar comigo e me explicou como ela estava se sentindo. Assim como eu estava odiando receber uma crítica negativa, ela estava odiando fazer. Acho que acabamos nos aproximando por causa disso. Conversamos e ela criticou o meu livro de boa. Apontou o que, para ela, não tinha ficado legal. Mas ela fez tudo de uma forma tão educada e sem querer me ofender, que o ódio mortal/rancor capricorniano foram esquecidos facilmente.

Deixando os livros de lado, vamos, agora, falar um pouco sobre críticas. Ninguém é perfeito e sabemos disso. Eu, particularmente, não curto quando pessoas apontam meus defeitos. PORÉM (!!!), quando a pessoa tem boas intenções, é legal e faz a crítica educadamente e de forma privada, eu realmente não me importo. Inclusive, escuto tudo o que ela tem a me dizer e pondero sobre.


O que a menina me disse aquele dia ficou na minha cabeça e estou tentando melhorar (realmente estou). Na minha humilde opinião, existem dois tipos de crítica: as construtivas e as destrutivas. A construtiva é aquela feita com o intuito de ajudar. Até aí, ok. Mas não adianta chegar no meio do facebook, em um grupo de trinta mil membros, fazer uma resenha malhando o livro e dizer que aquilo é só uma crítica construtiva. Mil perdões, mas VTNC! Isso é a destrutiva. Se você realmente quer que a pessoa melhore, então critique-a de forma privada. Aponte os erros e sugira maneiras de melhorar. Mas faça isso com embasamento e não simplesmente
jogue o problema na cara dela.

  Muita gente gosta de criticar para se sentir superior. Amiguinhos, se você tem complexo de inferioridade, procure um psicólogo e pare de descontar nos outros. Isso vale para TODOS os assuntos. 


Vamos parar de falar mal do cabelo do outro, da forma como a pessoa fala, do trabalho que ela fez… Antes de criticar, pense que a pessoa tem sentimentos. Lembra daquela regrinha básica: não faça com os outros o que não gostaria que fizessem com você. Quando for criticar, imagine-se no lugar do criticado.

Quanto a lidar com críticas, se elas forem construtivas de verdade, super aceito! As demais?

No primeiro momento, fico chateada e converso com umas cinco pessoas para que elas acalmem meu surto de ansiedade. Depois, volto à vida. Fazer o quê? Nem todo mundo vai gostar do meu trabalho.